O Clube Cidades Sustentáveis reúne empresas
e instituições francesas, consultores independentes,
acadêmicos franceses trabalhando no Brasil
no campo das cidades.
Ele conta mais de 70 membros e reúne competências multidisciplinares para refletir sobre o futuro das
cidades brasileiras e responder aos desafios
da cidade sustentável.

O Clube Cidades Sustentáveis reúne empresas e instituições francesas, consultores independentes, acadêmicos franceses trabalhando no Brasil no campo das cidades.
Ele conta mais de 70 membros e reúne competências multidisciplinares para refletir sobre o futuro das cidades brasileiras e responder aos desafios da cidade sustentável.

Promovemos a expertise francesa em sustentabilidade urbana.

Adaptar-se à mudança climática
Organizar uma mobilidade ativa e sustentável
Oferecer uma água limpa e rejeitar uma água tratada
Reduzir, administrar e valorizar os resíduos
Conectar os cidadãos

Promovemos a expertise francesa em sustentabilidade urbana.

Adaptar-se à mudança climática
Organizar uma mobilidade ativa e sustentável
Oferecer uma água limpa e rejeitar uma água tratada
Reduzir, administrar e valorizar os resíduos
Conectar os cidadãos
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27

O desafio apresentado pelo município de Niterói (RJ), com seu meio milhão de habitantes, era ordenar o tráfego caótico, que prejudicava a qualidade de vida da população. Além disso, a cidade precisava ter sua própria rede de dados privada, para oferecer serviços digitais centralizados e econômicos para seus cidadãos.

Uma das soluções apresentadas pela ENGIE foi o Centro de Controle de Operações (CCO).

Implantado em janeiro de 2017, a inovadora tecnologia pretende melhorando o fluxo do tráfego nas 10 áreas com maior nível de engarrafamento, que terá parte de seus semáforos conectada. O projeto inclui, também, a criação de uma rede de dados potente e escalável, baseada na tecnologia EPON (Ethernet Passive Optical Network), com vários serviços de cidades inteligentes em potencial, como CCTV, sinais de mensagens variáveis, gerenciamento de iluminação pública, provisão de Internet, escalabilidade, facilidade de manutenção, otimização de largura de banda, entre outros.

O sistema de gerenciamento de tráfego incorporado neste projeto envolve uma abordagem pioneira no Brasil, baseada em sistemas adaptativos em tempo real. Com base em câmeras de loop virtual e controladores de tráfego inteligentes, essa tecnologia permite a comunicação entre os diferentes semáforos e o Centro de Controle, e mede o fluxo não apenas através de câmeras, mas, também, através de redes sociais, como Waze, Twitter e outras mídias sociais. Assim, é capaz de melhorar as condições de tráfego, em tempo real, diferentemente de outros sistemas existentes - que se baseiam em uma comunicação centralizada com os centros de controle, de modo que não permitem a adequação automática do tráfego sem a interferência humana.

A implantação de semáforos inteligentes e o monitoramento por câmeras nas principais encruzilhadas e painéis informativos de Niterói permitirão uma melhoria de 30% no fluxo de tráfego, contribuindo para reduzir a poluição, o consumo de combustível e o tempo de viagem, melhorando a qualidade de vida da população.

CASE EM NÚMEROS:

  • Instalação de 190 controladores semafóricos
  • Implantação de 224 câmeras de monitoramento de trânsito
  • Colocação de 14 painéis de mensagem variáveis, fixos e móveis
  • Total de 80km de fibra óptica
  • Previsão de melhoria de 30% na fluidez do trânsito